quinta-feira, 25 de outubro de 2012

Eu não como carne


Geralmente todo ser humano tem preconceitos. Uns mais, outros menos. No decorrer da vida, as pessoas que tem mente aberta, costumam rever certos pensamentos, e as pessoas que optavam por ser vegetarianos, mas achava que nunca conseguiria ser um deles.
Nunca achei esquisito...só achava corajosos...deixar de comer carne? Como alguém poderia viver assim?
Depois que comecei a me engajar mais na proteção animal, a vontade de deixar de consumir carne foi se fortalecendo. Foi difícil no começo, eu confesso. Já faz aproximadamente 01 ano que não consumo carne. Confesso que  em alguns momentos ainda sinto vontade (não consigo ser hipócrita), mas meus aprendizados sobre a maneira como os animais sofrem me faz resistir.
É difícil ser vegetariano...primeiro porque as opções pra deixar nossas alimentação mais diversificada são bem difíceis de serem encontradas. Eu adoro os produtos feitos com soja...mas é difícil encontrá-los.
A segunda barreira é o preconceito das pessoas. Todos os vegetarianos sabem que você passa a ser visto pelas outras pessoas como doente.
Estou escrevendo tudo isso porque li recentemente duas matérias que me deixaram bem chateada. Numa delas, um deputado cria um projeto pra estimular o consumo de carne de porco nas escolas. Veja clicando aqui
A outra é uma reportagem onde um maluco chama o vegetarianismo de seita. Veja clicando aqui
Triste ver que o mundo caminha, o tempo passa e muitas pessoas não progridem. Estimular o consumo de carne de porco? Por que não estimular o consumo de vegetais, uma vez que as crianças estão cada dia mais obesas por causa do fast food?
Por que somos considerados loucos? Por que não queremos matar um animal e comê-lo? Por que acreditamos que a vida merece ser respeitada? Por que sabemos que as condições de transporte e abate dos animais além de causar imenso sofrimento para eles, é em sua grande parte feita sob condições de higiene questionáveis?
Eu aprendi com o tempo a respeitar. Respeitar a opinião, mesmo não concordando. Você precisa de religião pra viver? Tudo bem se você se sente bem assim... Você prefere ter uma pessoa do mesmo sexo pertinho de você? Você é feliz assim? Tudo bem. O importante  na minha opinião é: fazer o bem, respeitar e ser feliz.

4 comentários:

Milene Widholzer disse...

Oi Nice, postagem perfeita!
Sei como é difícil deixar de comer carne. Aqui em casa restringimos o consumo a quase nada. Força de vontade não falta, mas existe a dificuldade de encontrar produtos variados. Aqui no sul é muito difícil, o churrasco está arraigado nos hábitos alimentares e dificilmente se vai a um lugar em que não se encontre apenas carne sendo servida. Como adoramos verduras e legumes e nenhum de nós gosta muito de comer carne, vamos substituindo aos poucos, com um pouco de peixe e assim por diante. Devagar vamos indo...
Parabéns pela conquista vegetariana.

Claudia Goulart disse...

Já te contei que fui vegetariana por mais de três anos (em meados dos anos 80)e mesmo tendo várias opções de restaurantes (pelo menos no centro da cidade), a maior dificuldade era encontrar produtos variados. Quando voltei a comer carne novamente foi por indicação médica (tive anemia que perdurou por muitos anos).
Hoje tenho a mesma alegria em comer comida vegetariana e vegana e sempre que posso é assim que me alimento e minha família também.
Tenho a felicidade de morar em um lugar que existem bons Chefs especialistas nesses pratos o único senão são os preços, ainda não dá pra ter produtos ou comprar refeições prontas.
Por essa razão resolvi aprender algumas coisas pra fazer em casa.
Tenho receitas simples e já testadas que são muito boas.
Outra dica é usar o Ghee em vez de óleo, é fácil de fazer e a comida fica muito mais saborosa e leve.
bj

Michelle disse...

Ah, esses deputados... sempre se empenhando em criar leis completamente equivocadas.
Às vezes, até algo que supostamente daria para comer esconde armadilhas. Um exemplo: feijão. Raramente como feijão fora de casa porque quase sempre colocam bacon. Daí vc pergunta se tem bacon no feijão e o atendente faz aquela cara de "não sei. não, não tem (acho)". Não dá para confiar, né? Então já nem pego.
Mas enfim... parabéns por ter conseguido manter suas convicções apesar das dificuldades.
bjo

Art by Lu disse...

Nem sei o que comentar, rsrs... Já fui chamada de tantas coisas absurdas por ser veg, que só me resta rir muito.. ou escrever um livro sobre o assunto!! hahahaha ...
As pessoas tem um preconceito burro [sei que é quase um pleonasmo isso], porque não sabem o que é direito, não querem saber e tem preconceito contra quem sabe. É bem assim. Do tipo "nunca parei p/ pensar no assunto, mas não gosto porque não é o que a maioria faz".. E ponto final...
Infeliz de quem não tenta, vai passar a vida toda numa mesmice tosca, com vários problemas de saúde, contribuindo p/ a crueldade animal. Só lamento por todas essas vidas.