domingo, 22 de fevereiro de 2009

Estrelinha


O gato Socks, animal de estimação da família Clinton enquanto Bill foi presidente dos Estados Unidos, foi sacrificado na manhã da última sexta-feira quando tinha em torno de 20 anos, segundo informações da CNN. O animal estava vivendo com a secretária do ex-presidente, Beth Currie, desde que ele deixou a Casa Branca, no começo de 2001.

Bill e Hillary Clinton se pronunciaram sobre a morte do gato por meio de um comunicado da Fundação Clinton. "Socks trouxe muita felicidade para Chelsea (filha do casal) e para nós ao longo dos anos e alegria a crianças e amantes de gatos em todos os lugares. Nós somos gratos a estas memórias e queremos agradecer a nossa grande amiga, Betty Currie, por ter tomado conta dele por todos esses anos".

Socks foi diagnosticado com câncer na boca e mandíbula no final de 2008 e vinha perdendo peso desde então. Currie descartou o uso de procedimentos cirúrgicos para prolongar a vida do animal.
Notícia Retirada do site TERRA

6 comentários:

Elaine disse...

Olá!
Sei lá, se os Clinton gostavam tanto do gatinho, porque ele estava com a antiga secretária?
Não sei se eu sacrificaria, mas deixá-lo sofrer indefinidamente também não parece ser boa ideia...
O que você acha?
Bom domingo e fique com Deus.

disse...

pq raios ele não estava com eles???

bom, espero que tenha vivido 20 anos felizese fico feliz que não tenham deixado o gatinho sofrer...

Art by Lu disse...

Hummm... Decisão complicada essa. Ano retrasado adotei uma gatinha do INPA, no Rio, pois não me conformei que ela vivia há 6 anos numa celinha!! :- (... Ninguém a adotava porque era preta e pernetinha (tinha só 3 perninhas). Ela viveu conosco por um ano e meio, até começar a crescer um calombo nas costas dela e dele vazar um líquido. Fizemos biópsia e o resultado foi cancer... Ficamos muito tristes, porque de uma gatinha meiga e carinhosa, ela se transformou em uma gatinha solitária, chegou o tempo em que não aceitava nem cafuné, coisa que ela adorava. Ela tomava 4 medicamentos diferente por dia, mas com o tempo isso não adiantava mais e teria que fazer um tratamento mais intensivo. Víamos o sofrimento nos olhinhos dela, e após pensar muito, optamos pela eutanásia. Foi uma decisão muito, mas muito difícil. Consultamos vários veterinários para outras opiniões, e tivemos a certeza que seria muito sofrido e doloroso, e somente por esse motivo tomamos essa decisão.
Mas sabe que ainda hoje me questiono, será que nós tínhamos o direito de ter feito isso? E será que tínhamos o direito de deixá-la sofrendo, com dores horríveis e mal se alimentando?
Espero não passar novamente por essa situação...

Felina disse...

nossa decisão difícl de tomar, espero nunca passar por isso, minha irmã teve que tomar essa decisão ano passado com o cachorro deles que ficou mal de uma hora para outra e não teve solução, ela disse que o marido dela chorava feito criança ao se despedir de Sammy, mas é uma atitude que eu desejo para mim caso seja um dia necessário então certamente faria o melhor para um dos meus amores, mesmo com muita dor no coração.

Flavia disse...

olá!!! passa la no bloguinho que tem um presentinho pra ti!

Claudinha disse...

Nice, tem presentinho pra vc lá no beco!
bjos