domingo, 5 de abril de 2009

Gatinhos Mineiros

“Um bom apartamento, detefon, almofada, trato e todo dia filé mignon.” Os versos cantados por Chico Buarque estão mais atuais do que nunca. O mercado de produtos destinados aos gatos no Brasil cresceu 40% nos últimos quatro anos e está cada vez mais sofisticado, o que levou empresas especializadas em pet shops a destinarem prateleiras e até lojas inteiras ao animal. Tem de tudo no mercado: veterinário que faz acupuntura em gatos, rações específicas para cada raça – que levam em conta, inclusive, o formato da cara dos felinos e até tendências a problemas renais –, unha postiça, fonte com água fresca e arranhadores que são verdadeiros parques de diversões para os bichinhos.

A demanda por produtos específicos para gatos é tão crescente que Belo Horizonte já recebeu a primeira loja voltada exclusivamente para produtos destinados aos bichanos. E está prestes a ganhar a segunda. “É a primeira vez que uma loja desse tipo é aberta fora do eixo Rio-São Paulo”, atesta a gerente de produto para gatos da Royal Canin, especializada no desenvolvimento de rações para animais, Fernanda Marques. A expansão do mercado tem razão de ser. Os gatos dão menos trabalho, são mais independentes que os cães e, além disso, são considerados ótimas companhias. “O cão é como um filho. Já o gato divide o apartamento com você”, resume Fernanda.

A população de gatos atendidos nos pet shops do país saiu de 11 milhões em 2003 para 15 milhões ao fim de 2008. E a tendência é de que ela cresça, até suplantar o número de cães de companhia, como já acontece nos Estados Unidos e na Europa. A engenheira Luciana Mara dos Reis convive com os bichanos há 20 anos e atualmente tem dois em casa. Gasta, em média, R$ 350 mensais com cuidados como areia, ração e pet shop, sem contar custos extras com consultas veterinárias e medicamentos. “A oferta de produtos está aumentando muito em Belo Horizonte”, afirma. O que mais pesa no orçamento, segundo ela, é a areia, que tem que ser trocada dia sim, dia não. “São 12 pacotes de 3kg por mês. O difícil é subir com tudo isso no elevador”, brinca.

A empresária Paula Ferraz de Andrade é a pioneira em lojas só para gatos em BH. Ela inaugurou a Cat’s Shop, no Bairro Funcionários, há dois meses e não tem do que reclamar. Tanto que já prepara a abertura de uma filial no Sion. A ideia surgiu por causa da demanda por esse tipo de produtos no Dog’s Shop, de sua propriedade, no qual as vendas de produtos para felinos já respondiam por 20% do faturamento no fim do ano passado. “Notei que a clientela é boa, exigente e gosta de comprar coisas para os bichanos sem que elas estejam misturadas com produtos para cães. Procurei fazer uma loja mais aconchegante, parecida com uma casa. Os clientes de cachorros já estão até reclamando”, revela.

Noticia retirada no site www.uai.com.br

Um comentário:

Ana, Aprendiz de Anjo disse...

Bom ver que os bichanos começam a ser apreciados como companheiros. Quem sabe um dia eles não despertem mais tanta desconfiança... Beijinhos