segunda-feira, 9 de fevereiro de 2009

O chocante comércio de peles de cães e gatos na China

Retirei este texto do site de um jornalista chamado Sidney Rezende. Não preicsa de fotos, pois ao ler, você imagina o horror. Não quero aqui levantar preconceito contra nenhuma etnia, mas os chineses parecem ser peritos em causar repulsa.
Como sempre digo, cada vez mais eu prefiro me distanciar do chamado ser humano. Sou muito burra, pois na minha cabeça não dá pra compreender como pode ser feito o mal pra um animalzinho indefeso. Tem muitas horas que dá vergonha viver neste planeta.

O melhor amigo do homem assassinado por causa de sua pele? Isto não é apenas um pesadelo. A PETA conduziu recentemente uma investigação sigilosa dentro do comércio de peles de cães e gatos para mostrar para vocês aquilo que a indústria está louca para esconder.

Mesmo os investigadores veteranos ficaram horrorizados com o que encontraram: milhões de cães e gatos na China estão sendo espancados, pendurados, sangrados até a morte, e estrangulados com enforcadores de arame para que seu pelo possa ser transformado em enfeites e ornamentos para vestuário. Esta pele é deliberadamente rotulada como sendo de outras espécies e é exportada para países em todo o mundo para ser vendida a clientes que de nada suspeitam.

A China fornece mais da metade dos enfeites e ornamentos de pele, já acabados, que são importados pelos EUA. A questão é que as peles de cães e gatos são comumente identificadas de forma propositalmente errada. Se você compra peles, não há como saber a pele de quem você está usando.

A PETA foi a um mercado animal no sul da China e encontrou gatos e cachorros definhando em gaiolas minúsculas, visivelmente exaustos. Alguns já estavam na estrada há dias, transportados em gaiolas de tela de arame, imundas, sem comida nem água. Vinte gatos foram colocados à força em uma única gaiola. Em função do transporte através do país, em condições tão deploráveis, os investigadores viram gatos mortos em cima das gaiolas, gatos e cachorros morrendo dentro das gaiolas, ou com enormes feridas abertas. Alguns animais estavam em estado letárgico ou apavorados, e outros lutavam entre si, completametne insandecidos devido ao confinamento e às péssimas condições de vida.

Cada caminhão é carregado com mais de oito mil animais. As gaiolas são empilhadas umas em cima das outras. Gaiolas contendo animais vivos são normalmente jogadas no chão de uma altura de três metros de cima dos caminhões, quebrando violentamente as pernas dos animais que estão ali confinados. Muitos ainda usavam coleiras, um sinal de que um dia foram animais de estimação de alguém, roubados para serem transformados em casacos de peles.

2 comentários:

Ana, Aprendiz de Anjo disse...

As vezes me pergunto que moda é essa que necessita de tais adereços ou que pessoas são essas que as compram só porque querem algo de grife Muito triste...

Japa Girl disse...

Um horror!
O problema é a falta de informação. Às vezes a informação está disponível até, mas as pessoas preferem ignorar. Outro dia li não sei onde (sorry! se achar a fonte, te mando) que o Brasil é o maior exportador de carne de cavalo para preparação de sushi. Sem contar que também somos o segundo maior exportador de pele de chinchilas. Mas e daí, não é mesmo? O importante é manter a economia em alta, degustar um prato exótico e vestir artigos de luxo inúteis.
Desculpe pelo desabafo. É que isso tudo me dá nojo.
Bjo!