quarta-feira, 10 de setembro de 2008

RESPOSTA À PERGUNTA DE ALGUMAS PESSOAS


"Por que não vão defender as crianças com fome?"
Questão interessante.
Vamos ver se essa eu consigo responder de modo didático.

1) Quem faz esta pergunta admite que existem dois tipos de pessoas no mundo:
As Pessoas Que Ajudam e as Pessoas Que Não Ajudam.
Além disso, admite também que faz parte das Pessoas Que Não Ajudam, afinal, do contrário, diria "Por que não me ajudam a defender as crianças com fome?", ou "Venham defender comigo as crianças com fome!", ou "Não, obrigada, vou defender as crianças com fome".
Então ela se coloca claramente através de sua escolha de palavras como uma Pessoa Que Não Ajuda.
É curioso a Pessoa Que Não Ajuda,não faz nenhum esforço para ajudar, mas, sim, para tentar dirigir as ações das Pessoas Que Ajudam. É bastante interessante. Se eu fosse até sua casa organizar sua vida financeira sob a alegação de que eu sei muito mais sobre administração familiar eu estaria interferindo, mas ela se sente no direito de interferir nas ações que uma pessoa resolve tomar para aliviar os problemas que ela encontra ao seu redor. É uma Pessoa Que Não Ajuda, mas ainda assim quer decidir quem merece ajuda das Pessoas Que Ajudam e o nome disso é "prepotência".
2) Pessoas Que Ajudam nunca vão ajudar as "crianças com fome". Nem tampouco os "velhos", os "doentes" ou os"despossuídos". E sabe por que? Porque "crianças com fome" ou "velhos" ou qualquer outro destes é abstrato demais. Não têm face, não são ninguém. São figuras deretóricas de quem gosta de comentar sobre o estado do mundo atual enquanto beberica seu uísque no conforto de sua casa.
Pessoas Que Ajudam agem em cima do que existe, do que elas podem ver, do que lhes chama atenção naquele momento. Elas não ajudam "os velhos", elas ajudam "os velhos do asilo X com 50,00 reais por mês".
Elas não ajudam "as crianças com fome", elas ajudam "as crianças do orfanato Y com a conta do supermercado". Elas não ajudam "os doentes", elas ajudam o "Instituto da Doença Z com uma tarde por semana contando histórias aos pacientes". Pessoas Que Ajudam não ficam esperando esses seres vagos e difusos como as"crianças com fome" baterem na porta da sua casa e perguntar se elas podem lhe ajudar. Pessoas Que Ajudam vão atrás de questões muito mais pontuais. Pessoas Que Ajudam cobram das autoridades punição contra quem maltrata uma cadela indefesa sem motivo. Pessoas Que Ajudam dão auxílio a um pai de família que perdeu o emprego e não tem como sustentar seus filhos por um tempo. Pessoas Que Ajudam tiram satisfação de quem persegue uma velhinha no meio da rua. Pessoas Que Ajudam dão aulas de graça para crianças de um bairro pobre. Pessoas Que Ajudam levantam fundos para que alguém com uma doença rara possa ir se tratar no exterior. Pessoas Que Ajudam não fogem da raia quando vêem QUALQUER COISA onde elas possam ser úteis. Quem se preocupa com algo tão difuso e sem cara como as "crianças com fome" são as Pessoas Que Não Ajudam.
3) Pessoas Que Ajudam são incrivelmente multitarefa, ao contrário da preocupação que as Pessoas Que Não Ajudam manifestam a seu respeito. (Preocupação até justificada porque, afinal, quem nunca faz nada realmente deve achar que é muito difícil fazer alguma coisa, quanto mais várias). O fato de uma Pessoa Que Ajuda se preocupar com a punição de quem burlou a lei e torturou inutilmente um animal não significa que ela forçosamente comeu o cérebro de criancinhas no café da manhã. Não existe uma disputa de facções entre Pessoas Que Ajudam, tipo "humanos versus animais".
Geralmente as Pessoas Que Ajudam, até por estarem em menor número, ajudam várias causas ao mesmo tempo. Elas vão onde precisam estar, portanto muitas das Pessoas Que Ajudam que acham importante fazer valer a lei no caso de maus-tratos a um animal são pessoas que ao mesmo tempo doam sangue, fazem trabalho voluntário, levantam fundos, são gentis com os menos privilegiados e batalham por condições melhores de vida para aqueles que não conseguem fazê-lo sozinhos. Talvez você não saiba porque, afinal, as Pessoas Que Ajudam não saem alardeando por aí quando precisam de assinaturas para dobrar a pena para quem comete atrocidades contra animais, que estão fazendo todas estas outras coisas, quase que diariamente. E acho que é por isso que você pensa que se elas estão lutando por uma causa que você "não curte", elas não estão fazendo outras pequenas ou grandes ações para os diversos outros problemas que elas vêem no mundo. Elas estão, sim. E se fazem ouvir como podem, porque sempre tem uma Pessoa Que Não Ajuda no meio para dar pitaco.
Então, como dizia meu avô, "muito ajuda quem não atrapalha". Porque a gente já tem muito trabalho ajudando pessoas e animais que precisam (algumas até poderiam ser chamadas tecnicamente de "crianças com fome", se assim preferem os que não ajudam).
autor: Francisco José Papi

5 comentários:

Silvia disse...

hummmm tô quase chorando aqui, menina! muito bom o texto... sempre tem alguém com essas estórias cretinas, da mesma linha de pessoas do "é só um gato"...
bjos!

lili-gata disse...

Excepcional! Brilhante! Fenomenal! Perfeita resposta cala-boca! Eu já ia dizer para acrescentar uma nova categoria de Pessoas que Atrapalham, mas o final do texto já disse tudo!

Cláudia disse...

Perfeito, Nice! Já me perguntaram: e se vc visse uma criança na rua, vc ia ajudar tb?
Pois é, a gente faz alguma coisa, ajuda como pode... e não fica sentado criticando quem ajuda.... é mais facil criticar do que botar a mão na massa.... mas o texto é perfeito!

Felina disse...

eu sou mais radical, digo que ajudo bicho pq não gosto de gente, eheheh, chegou ao cúmulo de uma vez um conhecido perguntar se eu tivesse de carro e tivesse q atropelar um cachorro e uma criança, qual eu atropelaria, como boa cinicia que sou, disse q atropelava a criança, ahaha, ele quase me matou, ai eu disse, não atropelava nenhum, pq diferente de ti, eu respeito todo tipo de vida. esse povo que fala e não faz nada cansa minha beleza exótica!! bom final de semana.

Nana disse...

ADOREI E CONCORDO PLENAMENTE !!!
Já me perguntaram pq eu não me apego mais com os seres humanos...
eu respondi que já lido com os humanos e seus problemas o dia todo, por isso dou-me o direito de fazer da minha terapia o cuidar dos gatos.
Tem gente que adora se meter não é ???
Que horror !!
Bjs Nana